31 janeiro 2010

Janeiro negro

O mês de janeiro vem se revelando lamentável para o país. Chuvas incessantes causam mortes e destruição, desnudando o tremendo despreparo dos nossos governantes em adotar medidas sérias de prevenção às chuvas. Para piorar ainda mais, o Flu levou uma chuva de gols do Framengo, em noite inspirada do ataque rubro-negro da favela. O mais difícil do relato é revelar que o Flu, na verdade, afrouxou! Saiu na frente, dando um banho de bola nos favelados. Criou chances, desperdiçou várias e abriu 3x1 em cima do rival. Era a 'tarde de sol' que agraciava os cidadãos de bem! Veio o segundo tempo e, com ele, as trevas de uma tempestade inimaginável. Trovoadas, enchentes, desabamentos, avalanches... Ao invés de lavar a alma, vimos a tempestade levar lama e caos ao mundo do ludopédio. A defesa Tricolor, decantada até então pela invencibilidade, levou logo 5! Claro que vão babar ovo da dupla de ataque favelada, pois isso vende. Mas, quem viu o jogo sabe que o placar não faz jus ao desempenho das equipes. Espero que a volta de Fred melhore a pontaria do ataque da camisa mais bonita do mundo! Embora tenha ido bem na primeira etapa, a parte ofensiva do Flu criou mas desperdiçou muito. Ah, sim: palmas para Andrade, que mexeu bem no time!
Em Sampa, o Curíntia quebrou a escrita e finalmente venceu o Parmêra, após 4 anos na fila. Com o resultado, deixa o rival para trás e assume a liderança com um ponto à frente do Peixe. Foi suado! Jogo ocorrido, disputado, em que o Palmeiras dominou grande parte do jogo graças à superioridade numérica adquirida após a expulsão de Bob Carlos em mais um carrinho maluco do lateral mascarado. As ausências de Ronaldo Gordo, Diego Souza, Léo e Deyvid Sacconi colaboraram para a estrela de Jorge Henrique brilhar. O Verdão só não marcou graças à atuação grandiosa de Felipe, que catou pelo menos 3 bolas muito importantes! Cleiton Xavier, mais uma vez, perdeu a chance de mostrar equilíbrio. E o zagueiro Danilo perdeu uma chance à là Adel, na cara do gol.
Os Bambis tropeçaram no Sertãozinho, jogando com vários reservas. O adversário era, então, o lanterna do certame. A verdade é que o São Paulo ainda carece de melhor organização em campo. Não que Gomes tenha lá grande culpa, mas o time não se achou ainda.
No GreNal, deu Inter - de novo. O gol solitário de Alecsandro decretou a vitória colorada sobre o arqui-mega-rival em jogo equilibrado e truncado. Mais entrosado, o Inter se impôs, dominando o jogo. O Grêmio, que saiu atrás nas quatro partidas anteriores, virando três e empatando uma, dessa vez amargou a derrota. Mas quase manteve a fama de Imortal: no último lance do jogo, Maylson acertou a trave. E ficou por aí!

Um comentário:

Sabiana disse...

Que feio "ataque rubro negro da favela", bem mais poético "Império do Amor".

hihihihiihihih bricadeirinha.
Parece nome de novela mexicana!