11 julho 2007

Lá vem a Final...

A julgar pelo futebol apresentado até aqui, levaremos um cacete firme da Argentina na Final da Copa América. Claro que tudo pode acontecer, o futebol é uma caixinha de surpresas etc., mas o fato é que o nosso time é mambembe. Não conseguimos jogar bola, apesar de aparições de Robinho em campo. Contra o Uruguai ficou evidente nossa dificuldade em manter um ritmo de jogo razoável, de conseguirmos impor o toque de bola, de mandarmos no jogo, enfim. Exatamente o que os argentinos têm feito direitinho!
Nossas laterais são muito fracas. Maicon e Gilberto não conseguem se desvencilhar de uma timidez e apatia que podam o nosso time. Nem marcam direito nem apóiam como acham que podem. Ainda sou mais Elano e Daniel Silva nessas posições.
O ataque peca pela ausência de Fred. Não que ele seja lá "o" craque, mas Vágner Amor (chega de anglicismos) não vem correspondendo. Não sei se é por que costuma atuar de modo diferente, vindo mais de trás com a bola, mas o crioulo de cabelos azuis não jogou bem de centro-avante enfiado na zaga adversária. Também acho que está meio fora de peso. Cabe um anúncio de automóveis em tamanho natural naquela bunda!
A zaga tem as tradicionais crises de ausência, principalmente por que Alex está meio perdido. Juan é quem vem carregando o piano. E já falei dos laterais que não marcam, né? Doni fez duas boas defesas na partida, mas entregou o ouro na péssima rebatida nos pés de Forlán!
Mas a meiúca é que traz as maiores preocupações. Jogar com muitos marcadores tem o preço de deixar o time engessado. Gilberto Silva, Mineiro (limitadíssimo), Josué e Júlio Baptista (embora esse até suba ao ataque) compõem um meio de campo digno de times pequenos, que jogam para se defender. Não é o nosso estilo. O diacho que é Diego, que era para ser o cara da armação, de fazer a bola chegar redonda a ataque, não compareceu. O meia sensação do campeonato alemão sentiu a pressão e não vem fazendo nem um terço do que se esperava de alguém que tem seu brilho e sua categoria.
Se esses caras resolvessem jogar o que sabem, a final (que, repito deve ser contra a Argentina) seria um jogão. Mantendo esse patamar sofrível, será uma partida travada, feia, com os hermanos bailando fácil.
E, cá entre nós, ficou feio o árbitro não voltar a cobrança do Lugano, não? Aliás, como é que o Lugano não estrilou? O cara ficou na dele, sem chiar! Não entendi...

3 comentários:

dimitry disse...

Puta que o pariu! Quem é esse Fernando?

Anônimo disse...

Rômulo... ficar vecchio para vc não significa adquirir experiência, mas apenas ficar mais careca! Cara. o time do Uruguai sempore é ruim, toma pau da venezuela e do time do bairro, mas contra o brasil os caras se transformam e endurecem sempre. Se a argentina passar do México, o Brasil leva fácil..MIG

Anônimo disse...

O Rômulo anda assistindo demais o Galvão Bueno, o dono da verdade absoluta sobre qquer esporte...