14 novembro 2013

Os reis do vacilo

O Campeonato Brasileiro já tem seu campeão na Série A, definido com 4 rodadas de antecedência, corroborando a impressão do fraco nível técnico desta edição. O Cruzeiro manteve o ritmo e, a rigor, fez o suficiente para se destacar, contando também com os tropeços dos concorrentes diretos, como o Botafogo, o Grêmio e, às vezes, o Trétis. Com mais esse título, o time das Minas Gerais confirma a façanha de ser o único fora do eixo Rio-São Paulo a levar o caneco na era dos pontos corridos, somando 3 conquistas nacionais. Decidido o endereço da taça, a briga agora é para ficar no G4, onde o Fogão sempre esteve até essa rodada, deixando a vaga para o embalado Goiás. E o pau come solto mesmo é na ZR. Com o Náutico rebaixado, sobram 3 vagas que estão em séria disputa. A Ponte leva vantagem na briga e deve ficar com a segunda forca. Nas outras duas, Vaishco, Bahia, Criciúma e o rei do vacilo, o Fluminense, disputam palmo a palmo, seguidos não muito de longe pelo Coxa - seco para beliscar um vexame. O destaque é o Flu, atual campeão, que pode inaugurar o enredo do campeão rebaixado. Seria uma estreia nada honrosa para o time da camisa mais bonita do Brasil, quiçá do mundo, mas o histórico recente não tem ajudado. Depois de dispensar Abelão precocemente em um período infeliz, o time contrata o falido, atrasado e (PQP!!) framenguista Luxemburgo para tocar o time. Deu o que todo mundo já sabia, menos a Unimed: o time não rendeu e se perdeu. Aí, como "solução", chamam Dorival Júnior para tapar o buraco. Receita seguida por 99% dos times rebaixados...
Na Série B, o Palmeiras, já com a vaga de acesso assegurada, ainda não garantiu o título, mas precisa de 1 ponto em 3 jogos. Mole. A decepção fica por conta do Paranito, que vinha bem até a reta final, quando derrapou e perdeu o controle, deixando escapar a vaga no G4. Caído para a 10a. posição, o clube agora torce por um milagre, mas não um qualquer, um baita milagre, para poder ascender à Primeirona. Pena...
O Flu de Luxeba não funcionou...
Foto: Daniel Ramalho/Terra