14 março 2011

Volta e reviravolta

Ganso voltou aos gramados em grande estilo. No jogo contra o Botafogo de Ribeirão Preto, o craque mostrou que sabe tudo do nobre esporte bretão. Logo no primeiro toque no melão, botou Zé Love em condição de fazer a jogada para o primeiro tento santista. Para completar, fez o segundo, acompanhando bem a jogada como um legítimo avante. Não bastasse, ainda fez jogadas perigosas e comandou o time. Time que obedece à batuta do jovem líder, que parece ter ascendência sobre os companheiros, inspirando-os dentro de campo. Ganso é, para mim, um talento primoroso, de raro valor, que terá, caso nada atrapalhe o trajeto, destaque do mesmo calibre de Ronaldo Gaúcho em seu ápice - que chegou a ser comparado a Pelé e Maradona, pelo trato com a redonda em campo. Claro que o Peixe não terá condições de segurar o jogador caso se confirme o estrelato, mas também não precisa correr os riscos desnecessários gerados pela postura arrogante na negociação com o atleta. Ganso já se mostrou um tanto ressabiado com a Diretoria santista e não será surpresa se logo sair para um clube europeu. Especula-se o Milan, que vem conversando com o jogador.
No Fla-Flu, o jogo dos vira-casacas: Emérson Sheik pelo Flu e Tiago Neves pelo rubro-negro. Embate equilibrado, com um Framengo mais consistente em campo no primeiro tempo e um Flu melhor no segundo. RGaúcho não é nem sombra daquele que outrora encantou o mundo, embora, claro, imponha respeito. O Flu ainda não engrenou em 2011, não só no aspecto técnico, mas também no tático. O Flu inssite em jogar esperando o adversário, quando deveria primar pela posse de bola, pois tem gente para tal. Os retornos de Conca e Sheik também não surtiram o efeito desejado, talvez pelo fato de não estarem 'nos cascos', e as apostas Araújo e Souza não renderam tudo que se espera deles.  Quem não vem jogando nada mesmo é o lateral Carlinhos - não que um dia tenha sido craque, mas está muito abaixo do que vinha mostrando. Quem se destacou foi Gum, que defendeu e atacou, até metendo bola na trave. O Framengo é um time razoável, que joga direitinho dentro de seu esquema sem um adiantado fixo, com TNeves e RGaúcho comandando a meiúca, mas que ainda precisam se entender melhor. Sobretudo o gaúcho, que se esmera nas firulas pouco objetivas. O lateral canhoto Egídio se destacou pelas arrancadas, que levaram perigo à zaga Tricolor. No final das contas, o melhor em campo foi o jovem árbitro Pathrice Maia, que soube levar bem a partida.
O chato mesmo foi ver a saída de Muricy Ramalho. Ninguém pode negar que ele é, hoje, o melhor treinador do Brasil. Fez história no Flu ao ganhar o título de 2010 com o elenco reserva e ao refutar a saída do clube para ir à Seleção, sonho de qualquer profissional do futebol. Saiu reclamando da falta de estrutura disponível para trabalhar no Tricolor, fato já apontado por treinadores anteriores. Capeão brasileiro, Muricy já cobrava, publicamente, que a direção do Flu investisse naquilo que ele pedia. Ou seja, já se sabia que o treinador estava insatisfeito. E já se sabia, antes disso, que o clube precisa de melhores condições: campo de treinamento, instalações para condicionamento de atletas, departamento médico... O novo presidente continua afirmando que esta é sua prioridade. Muricy, pelo jeito, não acreditou.

4 comentários:

ARGENTINO disse...

Esse Pó de ARROZ é Timinho mesmo , Presidente com a desculpa da Demisão Muricy , Dizer que o Clube não Tem ESTRUTURA !!! É pra acabar ...CT > LARANJEIRAS , É O LAJÃO !! rsrsrsrs
Ton Hanks tragam os Diretores aqui no C.T. do Caju pra ver um C.T. DE 1 mundo
O HE-MAN (DESAGREGADOR DE GRUPO) NO ATAQUE ...
Ataque de Riso
Abrx e estamos Juntos 2 Timinhos os nossos .

Paulo Roberto disse...

Uma vez FLAMENGO SEMPRE FLAMENGO !!!!

Long Haired Lady disse...

dá gosto de ver Ganso e Neymar juntos, ontem mesmo eu, flamenguista convicta, preferia ver o jogo do Santos, que gosto que dá!

Anônimo disse...

Murici vai pro Coxa.