02 maio 2010

Santo Campeão

Como era esperado, o Peixe levou o caneco em um bom jogo de futebol, com o Pacaembu cheio. O Santo André não se mixou e foi para cima do time de branco, abrindo o placar com 30s de bola rolando - o gol mais rápiod da história das decisões do certame paulista. Um susto logo absorvido pelo Peixe, que marcou com Neymar, em bom passe do maloqueiro Robinho. O tal do Branquinho saracoteou muito e incomodou o elenco santista. O segundo gol do time do ABC deu novos rumos ao jogo. O Santos parecia até acuado, dando a impressão que corria o risco de não levar o título para a praia. Mas... Aí veio o toque de gênio. A diferença que separa os maestros dos jogadores comuns. Em um toque soberbo, magistral, ao melhor estilo dos que eu costumo fazer, Paulho Henrique Ganso deixou Neymar na cara do gol para empatar novamente a partida. Naquele momento, tive a impressão de que Ganso consolidava sua genialidade e saída da faixa dos 'bons jogadores brilhantes' para a de 'craque'. Um guri que faz aquilo numa final, com torcida e imprensa no cangote, tem de ser craque. Hoje, se eu tivesse de escolher UM nome do Peixe, esse seria Ganso! Mais que Neymar, que ainda tem muito futuro, mais que Robinho, que tem um baita passado, Ganso é 'o cara'. Jogador que combate na meiúca, organiza o ataque e chega na frente, faz tudo isso com a qualidade de poucos. O terceiro gol do time de azul empatou os resultados, mas, com a vantagem do Peixe, restava ao Sto André ir para cima. Faltava um! E foram mesmo, aproveitando que estavam com um a mais em campo. Aos 5min do segundo tempo, Rodriguinho (tinha de ser esse o nome) perdeu a chance de ser o heroi ao desperdiçar excelente oportunidade. O jogo continuou combativo, disputado, com ambos os times dispostos a mostrar serviço. Porém, sem tantas chances de gol. O carrinho criminoso de Brum, aos 37min, pôs lenha na fogueira! O final do jogo foi em alta velocidade, com o Sto André tentando sufocar o Peixe. Bola na trave aos 45min, correria, banco de reservas em polvorosa... Mas, foi inútil. Valorizou a conquista alvi-negra e deu graça à disputa, pois foi por pouco, bem pouco, que a taça não desce a serra.
Com isso, consagra-se a nova geração de Meninos da Vila. Essa gurizada vai dar o que falar. Taça merecida, o Peixe passa a ser o time de referência do futebol vistoso. Tomara que os outros tentem imitá-lo.
No RS, o Grêmio levou o caneco em cima do Inter, mesmo perdendo em casa. E o Inter confirma que é o time que mais amarela no Brasil.

5 comentários:

Bruno disse...

Um JOGAÇO. Dificilmente se vê um jogo tão bom como a final do paulista. Alguém mais comenta aqui nesse blog?

Dimitry disse...

E que o atlético se foda!

E o Pexe só se deu bem pois o apito amigo anulou um gol legítimo do Santo André!

André Campos disse...

viva o ganso

Digão disse...

e dá-lhe Peixe !
Dimi, cala a boquinha que vc tá em outro continente...

RITA disse...

Não Romulicha. O Inter ainda perde para o Flu, em matéria de amarelar para o Grêmio, Gaymio para os mais íntimos.