29 maio 2008

Empate heróico!

O Flu fez seu papel e trouxe o empate da Argentina e agora decide em casa. Em pleno estádio Juan Domingo Perón, com arbitragem corretíssima de Roberto Silvera (URU), o Tricolor jogou com garra e barrou o time, até então, considerado o melhor das Américas. Os gols dos Thiagos calaram a torcida vibrante do Boca e deram alento à torcida mais bonita do Brasil para o jogo de volta. Como esperado, o Boca partiu para cima da defensiva Tricolor, deixando os contra-ataques para o visitante. O Flu tentava responder a pressão argentina, mas não conseguia trocar passes. Uma bobeada da defesa permitiu a abertura do placar, em bela trama do time portenho. Na seqüência, sem deixar o ferro esfriar, a resposta do Flu veio na cobrança de falta alçada na área, na cabeça de Thiago Silva, que balançou o barbante de Migliore - que de melhor não tem nada. O empate reforçou os ânimos brazucas e o time se comportou bem durante a primeira etapa. Veio o segundo tempo e o Boca pressionou como nunca, perdendo boas chances de desempatar. Fernando Henrique fez seu nome, em partida espetacular, salvando a pátria das Laranjeiras em pelo menos 3 eventos perigosíssimos. Desorganizado, o Flu não oferecia perigo, sem conseguir sair para o jogo. Conca, bem na primeira metade, sumiu, assim como Thiago Neves, que se escondeu. Washington foi mal o jogo todo, até ser substituído por um apático Dodô. Uma falta na entrada da área anunciou o perigo que se confirmou com a cobrança sempre eficiente de Riquelme. Quando tudo se encaminhava para uma derrota estreita do Flu, o que já não era mau resultado, transformou-se em cenário épico após a falha de Migliore em chute sôfrego do camisa 10 Tricolor, coroando o empenho e a garra do time da camisa mais bonita do Brasil. Agora, a decisão é no Maraca e o buraco, mais embaixo. Embora o time portenho seja perigoso, o Flu tem tudo para sair consagrado para a decisão da Libertadores de 2008.

Copa do Brasil

Enquanto isso, na Copa do Brasil, sobraram Curíntia e Sport para decidir quem sucede o Tricolor na competição.
Os pernambucanos satisfizeram alguns milhões de cidadãos ao eliminarem o Vaishco, que é um clube rejeitado por conta de sua estrela-mor, o emblemático cartola Eurico Miranda. Alie-se ao resultado o sabor especial de ver o polêmico Edmundo perdendo o pênalti decisivo e temos um enredo perfeito para poder sacanear os vascaínos. Alô, Saulo! Alô, Bruno!
Na outra semi-final, vimos o Buátafogo ser eliminado também nos penais pelo Curíntia. Redenção do goleiro Felipe, que havia falhado durante o tempo regulamentar e defendeu a cobrança final de Zé Carlos, redimindo-se perante a torcida. Após a eliminação, Cuca já pediu o boné e cogita-se Ney Franco para a vaga.

Nenhum comentário: